LOADING

A Alternativa à Mamadeira “Artificial” dos Bebês Grandes

A Alternativa à Mamadeira “Artificial” dos Bebês Grandes

by Holística Realista maio 29, 2017

Bom, estamos nesse tema novamente, mesmo minha filha já tendo 2 anos, esse é um assunto que dá pano pra manga.

Vocês já devem lembrar da nossa saga de amamentação e como eu sou fã do leite humano, mas como acabei tendo que abraçar o leite da farmácia por forças maiores.

Recentemente, nosso médico da família, em uma consulta com a minha filha, quando mencionei que ela ainda toma uma mamadeira para dormir, sugeriu dar uma melhorada nisso aí.

Basicamente, o leite/mamadeira, após 1 ano de idade do bebê, não é mais aquela fórmula que tenta se aproximar ao máximo ao leite materno. É basicamente leite de vaca, sem nada de especial, com conservantes, desidratado, enfim. Blégh.

 

A Visão da Antroposofia sobre a Lactância

Segundo a Antroposofia (e nosso Pediatra paulistano), o bebê humano é LACTENTE de fato até 1 ano de vida, sendo exclusivamente lactente até 6 meses de vida.

Após esse período os níveis de ferro do leite materno (que foram reforçados na mãe durante a gestação para garantir ao bebê nesse período) começam a cair. Também nesse período de 6 meses de vida, o bebê deve começar a apresentar sinais que o trato digestivo está pronto para receber alimentos sólidos, como conseguir sentar sozinho ou os primeiros dentes, assim iniciando por volta desta fase a introdução alimentar, para complementar a alimentação exclusivamente de leite também com sólidos que possam suprir essa necessidade nova de nutrientes.

O leite (materno, idealmente, se não, fórmula láctea) ainda é a alimentação principal do bebê até 1 ano, e os sólidos são uma alimentação complementar.

 

Após 1 Ano – já “come de tudo”

Após 1 ano, o bebê já está pronto para se alimentar somente de sólidos, e através de uma alimentação saudável e rica com alimentos vivos e nutritivos, não deve existir uma necessidade do leite na alimentação. O leite materno, após o bebê completar 1 ano, é como se fosse um suplemento, uma ajuda nutritiva ao bebê. Porém, no bebê com uma alimentação bem completa, assim como com adultos que não precisam de suplementos, o leite já não é necessário.

A recomendação da OMS de amamentação até 2 anos ou mais é válida SIM, por considerar todos os contextos de saúde do mundo, alimentação e disponibilidade de alimento de qualidade, e portanto garante uma ingestão nutritiva mesmo se a família não tiver condições de oferecer uma alimentação completa e saudável à criança. Isso é importante para contextualizar.

Mais sobre esse posicionamento da Antroposofia neste link.

Já o leite de vaca ou outros leites, entraria na alimentação como é para nós adultos, um alimento interessante mas não imprescindível como o leite humano ou adaptado (geralmente feito à base de leite de vaca) é para bebês até 1 ano de idade.

 

Mas a Gente Quer Leitinho Assim Mesmo

Mesmo sabendo disso, a verdade é que depois que parei de amamentar o pouco que conseguia no peito, e como minha filha não chupa chupeta, acabamos com o hábito de dar uma mamadeira para ela dormir à noite, o leitinho quentinho é realmente um hábito que no fim relaxa e induz ao sono, e não conseguimos ficar sem ela totalmente.

Então aqui vos trago: A Alternativa à Mamadeira “Artificial”.

 

Como Fazer a Mamadeira “do Bem”

Antes de mais nada, quero esclarecer algo muito importante. Essa dica é para crianças ACIMA DE 1 ANO, e sempre é importante debater essas idéias com seu Pediatra de confiança. Aqui divido a orientação do nosso médico, lembrando que minha filha tem 2 anos já. Bebês até 1 ano têm necessidades nutritivas específicas, e não se deve brincar de alternativas nesta fase sem aprovação pediátrica.

Dado o recado, vamos lá!

A sugestão do nosso médico é de ir trocando a mamadeira feita com o leite em pó infantil de lata (no nosso caso, Aptamil 3, mas muitas amigas usam o Ninho normal após 1 ano por exemplo, e por aí vai) aos poucos, pelo leite integral fresco (aquele de saquinho que fica na geladeira do supermercado).

Deve-se ferver o leite de saquinho (mesmo sendo pasteurizado, pois a fervura deixa as bactérias mais “nobres” no leite, segundo o médico), esperar esfriar e guardar na geladeira em uma jarra de vidro ou porcelana. Consumir em no máximo 3 dias – atenção.

Para começar a introduzir este leite, deve-se ir com calma e devagar para não afetar muito a barriguinha da criança que não está acostumada. Pode colocar uma dose (30ml) desse leite e o restante do leite em pó infantil normal que você já dava.

E vai vendo como a criança aceita. Eu acabei colocando muito leite uma vez e ela chorou com dor de barriga à noite por umas 3 horas – me arrependi amargamente de ter ido “com muita sede à mamadeira”. Nem que leve semanas para você adicionar outra dose de 30ml, vai com calma. A meta é a mamadeira ser feita só de leite fresco quentinho, e nada de leite em pó de farmácia.

Além disso, adicionar uma colher de iogurte caseiro feito com kefir – um verdadeiro bálsamo que faz uma “colônia do bem” na flora intestinal resultando numa imunidade superior. Aí sim o negócio fica bom e cheio de vida.

Quer saber mais como faz tudo isso?

Aqui tem um post sobre como fazer o iogure caseiro.

E aqui tem um vídeo que explica bem melhor tudo isso!

Vem ver!

Social Shares

Related Articles

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: